1. NITE-CEUMA – Programa Universitário Empreendedor

NITE-CEUMA – Programa Universitário Empreendedor

Empreendedor Digital
Olá, seja bem-vindo a trilha de aprendizagem de empreendedorismo digital que é a base do conteúdo do Programa Universitário Empreendedor (PUE)! A gente acredita muito que todo o conteúdo tem que estar livre e disponível para quem tiver interesse e é por isso que fizemos a curadoria cuidadosa de todos os conteúdos disponíveis aqui.

A gente também sabe que para quem tá embarcando pela primeira vez nessa aventura empreendedora, é mais fácil fazer junto (com outras pessoas que estejam com os mesmo anseios de aprendizagem) do que fazer sozinho, ao mesmo tempo não conseguimos suprir toda a demanda de pessoa que precisam desse acompanhamento e por isso abrimos editais exclusivos para comunidade CEUMA.

Se você quiser saber mais sobre o processo de acompanhamento, entre em edital de seleção.

Mas antes de começar, confira nesse post um pouco sobre o NITE e também sobre os nossos valores.

Quer saber mais sobre as pessoas que já participaram desse programa? Confira nosso post sobre o impacto de 2018.1

Aqui aprendemos fazendo (learning by doing). Você pode acompanhar os editais de seleção e participar do programa. Tentamos resumir o que achamos necessário para empreender digitalmente e instigar para conhecer mais sobre os assuntos. Os objetivos de aprendizagem são:

  • Como definir o problema.
  • Como ser um líder empreendedor.
  • Como dar o pontapé para solucionar.
  • Como apresentar essa ideia para investidores e possíveis clientes.

Nossa sugestão é que seja feito em 4 semanas. Sendo a divisão proposta abaixo.

Semana 1 – Definindo o problema e ferramentas básicas

Conteúdo

Vamos começar do início :). Precisamos definro O QUE queremos resolver e para isso temos algumas técnicas para ajudar você a definir esse problema. Trata-se do saber os conceitos de Design Thinking e Jobs to be done. Eles são complementares e usar um não necessariamente implica em usar o outro. Além de definir o problema, queremos apresentar para você ferramentas que irão lhe auxiliar nesse processo. A lista não é exastiva, mas baseada no que aprendemos fazendo produtos e auxiliando outros times a fazerem produtos. Com isso, temos:

  1. Definindo o problema.
  2. Ferramentas para o empreendedor digital.

Entregas

Para marcar o fim desse tópico, é preciso ter entregue a definição do problema que será trabalhado ao longo do programa. O objetivo é entender bem como definir o problema e como separá-lo da solução. A várias possíveis soluções para o job que se quer realizar.Segue um template de exemplo de como definir.

Semana 2 – Estruturando o a chegada o mercado e se preprando para ser líder empreendedor

Conteúdo

Na semana 2 , vamos focar em como chegar ao mercado – basicamente, plano de go-to-market e como calcular LTV-CAC – e em ter as conversas difíceis de como estrutura o cap table, o contrato de vesting e qual o cliff que cada um do time terá. Com isso, deixar claro o papel de cada um para o início – lembre-se de que isso pode mudar no futuro! – e quem é o que no time e ainda entender o papel dos advisors e do board. Apesar de normalmente essa conversa ser dura, evita brigas no futuro. Para tal, temos:

  1. Como preparar o go-to-market e o funil de vendas.
  2. Ser um líder empreendedor.

Entrega

As entregas objetivam a pensar estrátegias para entrar no mercado – quais são os early adopters? Como meus clientes vão ficar sabendo de mim? Como eu começo a vender? – e na relação de trabalho que o time terá – Qual a porcentagem de participação? Quanto tempo tenho que ficar na empresa? Qual o meu papel? – e claro, isso não deve ser um travamento para a empresa, mas uma definição das responsabilidades. Aqui estão alguns templates para auxiliar:

  1. Exemplo de contrato de vesting.
  2. Exemplo de estratégia de go-to-market (com trello exemplo no final).
  3. Template LTV vs CAC.

Semana 3 – Construindo o produto – MVP

Conteúdo

Nessa semana, deve-se criar o produto mínimo viável (MVP) e usar as ferramentas para construir a primeira versão do seu produto. Vale ressaltar que aqui você pode criar os dois tipos de MVPs, tanto o do Frank Robinson, no qual necessariamente se cria um produto, como o do Steve Blank, o qual trata mais de teste de hipótese. Ambos os casos o foco é no aprendizado e em encontrar o product-market fit e não em um produto bem acabado e pronto para escalar. Como conteúdo, tem-se:

  1. Como construir o MPV.

Entrega

Já a entrega agora é bem mão na massa! Deve-se entregar o produto rodando ou o a hipótese claramente definida do que se quer aprender sobre. Para isso, precisa-se medir o que se quer validar, tanto no produto, como na hipótese e deixar claro a meta do que se considerará um product-market fit – SPOILER: uma boa métrica é “X” clientes usando/comparando.

Semana 4 – Comunicando o sua empresa ou produto – Pitch

Conteúdo

O pitch é como apresentar o seu produto/empresa e tem diversos formatos, tanto para a venda como para os investidores. Em ambos os caso você precisa convencer o outro lado do que ele precisa do seu produto ou em investir na sua empresa! Essa é uma tarefa árdua e nem sempre a sua propota de valor vai ser percebida pelo outro lado. Muitas vezes vai ser necessário mudar o modelo de negócio, o preço, o público e até a forma que usam o seu produto! Para isso, temos o conteúdo:

  1. Como fazer seu pitch.

Entrega

Aqui é para se ter esse discurso decorado e nem precisar dos slides para apresentar. A apresentação é mais para ter o efeito visual para o storytelling e deve ser uma coisa natural para TODA a equipe fazer o pitch. Aqui tem um excelente exemplo de pitch deck feito pelo pessoa da Trakto.io – lembre-se importante saber defender cada um dos pontos, mais do que ter os slides:

  1. Template de pitch deck.



Trilha de Aprendizagem feita com por efremfilho.